Análise | Forza Horizon 4 é aquele tipo de jogo exclusivo que dá gosto de ver

Compartilhe

O que era praticamente perfeito, agora é mais do que perfeito

Sou um fã declarado da franquia Forza Horizon. Ainda mais do que sou de Forza Motorsport. O trabalho executado pela Playground Games, em parceria com a Turn 10 é algo notável. Inclusive, serve de exemplo para qualquer outro exclusivo que a Microsoft venha a lançar no Xbox. Afinal, os jogos exclusivos precisam ser impactantes, quase que por obrigação. Até por conta da importância que eles possuem na hora do consumidor escolher qual console irá comprar.

E é exatamente o que a franquia Forza Horizon significa. É sinônimo de qualidade, de esmero, de algo feito com amor. Mas já são muitos anos onde a série Forza vem alternando entre um jogo da marca Motorstorm e outro da Horizon. Ainda que isso torne a franquia anual, também serve de exemplo sobre como explorar uma marca, sem denegri-la. Mas será que Forza Horizon 4 continua o legado que vimos até aqui?

Forza Horizon 4 traz um novo mapa, com novas emoções

- PUBLICIDADE -

Forza Horizon 3 foi um jogo quase perfeito para mim. Apenas mais para o final do game que ele dá uma enjoada, mas nada demais. A jogabilidade, visual, mapa, modos de jogo, tudo bem estabelecido. A diversão era algo acima da média. Então, para dar vida a Forza Horizon 4 a Playground teria um grande desafio pela frente. Como seria possível superar ela mesma, após um trabalho tão bem feito?

Para começar a grande mudança, o estúdio partiu mais uma vez para um local exótico do mundo. Saltamos da Austrália para o Reino Unido. Sai o sol constante e entram as quatro estações do ano, que tornam os cenários britânicos extremamente belos. As estradas sinuosas, misturadas com locais mais urbanos, montanhas e muita lama. Tudo pareceu casar muito bem com a proposta de Forza Horizon. E em um jogo de mundo aberto com carros, o cenário é um dos grandes personagens. Contudo, o novo mapa não decepciona e se mostra um grande acerto. Talvez as ideias de mudança de estações não dessem certo em outro local. O destino de Forza Horizon 4 era mesmo a Inglaterra.

- PUBLICIDADE -

As Quatro Estações (Não é a letra de Sandy & Júnior)

 

Embora Forza Horizon 4 compartilhe de muitos elementos que fizeram do 2 e do 3 jogos impecáveis, ele traz uma grande diferença: As Quatro Estações do ano. Logo no começo, o jogo te apresenta como tudo isso vai funcionar. Enquanto competimos em algumas corridas de apresentação, as estações do ano mudam e com elas, todo o cenário. Desta forma, passamos pelo Outono, Inverno, Primavera e Verão em um piscar de olhos. Em seguida, o jogo nos posiciona em uma destas estações e assim, semanalmente elas vão mudando.

Essa grande novidade de Forza Horizon 4 traz uma sensação muito diferente. Além de todo o cenário mudar, a jogabilidade acaba sendo afetada pelas mudanças climáticas. Enquanto no Outono tudo fique mais bonito do que perigoso, no inverno enfrentamos os adversários e as adversidades das pistas cheias de neve e escorregadias. Na Primavera pode começar a chover do nada e no Verão seu único inimigo é o sol batendo em seu rosto. O mais interessante é que tudo, absolutamente tudo muda. Se nas demais estações do ano você consegue ver uma cachoeira e aquele rio em plena forma, no inverso tudo fica congelado e você pode, inclusive, guiar seu carro em cima do gelo.

Definitivamente, de todas as novidades que FH 4 oferece, as estações do ano é o que há de mais inovador.

Muitos objetivos e estilos de jogo

O mapa do novo Forza Horizon é bem grande. Mas não é maior que o do 3. Talvez eles estejam no mesmo patamar. Contudo, a maneira que o mapa é utilizado sempre conta bastante. Desta vez o festival Horizon está centralizado em um único lugar e não mais em vários festivais, conforme o estilo de corrida. Neste único festival, o piloto vai pegando pulseiras que permitem que ele entre em novas atividades. Paralelo a isso, radares, placas de perigo e muitas outras atividades vão sendo adicionadas no mapa. Ou seja, na grande maioria das vezes o jogador terá MUITA coisa para fazer.

Cada atividade tem sua categoria e estilo de carro necessário para competir. Cabe ao jogador escolher seus melhores veículos e entrar na briga. O sistema de escolhas antes de começar a correr continua o mesmo, podendo ser jogado solo, coop, contra jogadores reais e contra os rivais. Normalmente fazendo apenas uma vez cada evento, em qualquer uma das opções, já conta como um objetivo completado.

Assim, como nos demais jogos e também adotado por The Crew 2, é preciso ir ganhando influencia (antes eram seguidores). Esta influência é como pontos de experiência em um jogo de RPG. Quanto mais se ganha, mais habilidades podemos conquistar. A grande diferença aqui é que se antes o jogador investia seus pontos de habilidades no piloto, agora eles vão para os carros. Assim, cada carro vai ganhando vantagens toda vez que gastamos pontos de habilidades nele. Do mesmo modo, os pontos de habilidades parecem ser conquistados mais rapidamente. Afinal, não será fácil avançar cada um dos 450 carros disponíveis no game.

Comum, Épico e Lendário

Em Forza Motorsport 7 a Turn 10 mudou a forma com a qual ganhávamos alguns itens. Além de ter inserido a ideia de que trocar as roupas do Drivatar seria uma boa. Agora em Forza Horizon 4 isso vai muito além. Podemos customizar nosso Drivatar, mudar suas roupas e até mesmo suas ações. Embora possa parecer uma comparação maluca, existe uma ideia parecida com os jogos de smartphones e com Fortnite. Podemos trocar a maneira com a qual o personagem se comporta antes e depois das corridas. Dancinhas, movimentos, comemorações tudo faz parte de uma nova forma do Forza interagir com os jogadores. E funciona muito bem, deixando tudo ainda mais divertido. E quanto mais raro for o item, mais chamativo ele será. Ver como seus amigos deixaram seus Drivatars é bem legal.

Então, da mesma forma que Fortnite, Overwatch e diversos outros jogos, e também Forza Motorsport 7, Horizon 4 traz carros comuns, raros, épicos e lendários. Não que isso diferencie tanto assim os carros entre si em termos de desempenho. Afinal, dá para evoluir um carro comum de uma maneira bem satisfatória. Contudo, em termos de visual, os carros épicos e lendários são os mais bonitos. Então acaba valendo a pena se esforçar para ganhar ou comprar determinados veículos. E claro, muita coisa chegará via DLC pago e gratuito nos próximos meses.

No Xbox One ou no PC, tudo é uma maravilha

Se há algo que é indiscutível, é a qualidade da franquia Forza. Motorsport vem deixando Gran Turismo comendo poeira. Horizon praticamente não tem concorrente. Assim, a junção destes elementos torna estes jogos peças fundamentais para quem tem um Xbox One ou PC. E em Forza Horizon 4 tudo está ainda mais bem feito. O visual é inacreditável, talvez um dos melhores da geração. No Xbox Onenormal”, o jogo consegue um visual tão bom quanto os jogos anteriores. No Xbox One X tudo fica ainda mais lindo, com a opção de se jogar em Full HD e 60FPS com destaque para o desempenho 4K e 30 FPS.

Já no PC, testamos com uma GeForce GTX 1080 da Nvidia, com a configuração descrita ao final deste artigo. O game rodou muito bem com tudo no Ultra, 60 FPS em FullHD, sem nenhum esforço. Na mesma configuração testamos em 4K e os FPS se mantiveram no alto, em 60FPS, com algumas quedas por conta da baixa quantidade de memória que temos atualmente. De todo modo, quem tem um bom PC, terá um desempenho gráfico impecável. Mas quem está nos consoles, em qualquer versão, verá que Horizon 4 é lindo de morrer.

A jogabilidade continua sendo um dos pontos fortes da franquia. Horizon vai desde um simulador até um jogo totalmente arcade. Tudo depende do nível de dificuldade e assistência que o jogador seleciona. Particularmente eu faço uma configuração que fica no meio termo, mantendo a diversão e o desafio lá no alto. Além de me garantir bons pontos extras em cada corrida.

Campanha e multiplayer

O novo Horizon traz muitas formas de se jogar. Com 25 campanhas, cada uma delas permitem que joguemos de maneiras distintas. Apenas para pontuar algumas delas, temos uma campanha onde gravamos cenas para um filme como dublês. Em outra, somos apresentados aos carros mais rápidos do mundo e precisamos entrega-los ao seu novo dono. São muitas maneiras legais e divertidas de se aproveitar o game sozinho. E o melhor é que tudo pode ser feito também com outros jogadores, como mencionado mais acima.

FH 4 pretende melhorar tudo que vimos no modo multiplayer da franquia até então. Embora eu não tenha conseguido testar tantas vezes o multiplayer, por falta de jogadores (afinal, o game ainda não foi lançado até o lançamento desta análise), dá para ter certeza pelo desempenho que vi, que tudo está bem construído. O mundo do game é compartilhado em sessões, onde cada jogador entra e pode encontrar outros players. Então, junto com outros jogadores, podemos entrar em corridas multiplayers ou o ForzaThom, uma atividade realizada cooperativamente onde cada integrante da equipe precisa somar pontos, junto com seus companheiros, para vencer o desafio.

O mais interessante também é que ao jogar online, o mapa compartilhado entrega atividades sazonais. Todas elas possuem uma data de expiração e um prêmio diferente. Ao acabar o período, que tem ligação com a estação do ano, novos eventos aparecem e os jogadores tem uma semana para concluí-los.

Mais um Forza para marcar uma época

Forza Horizon 4 não existe apenas por conta do sucesso da franquia Horizon. Não é uma maneira fácil de se ganhar dinheiro. Não é, de forma alguma, uma DLC de luxo de Horizon 3. Estamos diante de um grandioso game de corrida que entrega um nível de diversão e detalhes jamais visto. O jogo que mais se aproxima de Forza Horizon é The Crew 2 e olhe lá.

Desta forma, os donos do Xbox One possuem mais um gigantesco exclusivo com o nome Forza em seu catálogo. O novo Forza Horizon 4 é quase que um 4 em um. Sua experiência não será a mesma jogando um game de corrida. As estações do ano precisam fazer parte dos demais jogos do gênero. Foi uma ideia fantástica e muito bem aplicada que faz de Forza Horizon 4 um jogo único.


Forza Horizon 4 foi analisado através de um código digital cedido pela Microsoft. Testamos o jogo na versão do Xbox One X e do PC com a seguinte configuração:

Nvidia GeForce GTX 1080
AMD Ryzen 1600
8GBs DDR4 Corsair
Placa Mãe AsRock
Fonte e Gabinete Gamer Corsair

Compartilhe

- PUBLICIDADE -

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LIVES

TODOS OS DIAS

O melhor conteúdo do mundos dos Games para você! São LIVES diárias com os melhores jogos de luta, Últimos Lançamentos, Notícias, Temporadas da “Guerra das Torres (Mortal Kombat)” e da “Guerra das Ruas (Street Fighter)” com os melhores players do momento e muito mais! É só colar e mandar aquele “Salve”